SOPA DE CACHORRO QUENTE

 

“...Era mais um início de tarde, e com isso o mesmo lhe ocorria, a fome era morta com um cachorro quente, todos os dias era cachorro quente, e mais cachorros-quentes, seu dinheiro não dava para comprar mais nada, nada mesmo, bom...tinha dia que sobrava um saquinho de suco, só colocar água e tinha-se um acompanhamento para a refeição...

Ainda bem que vivia só, pois no quarto da sua pensão não cabia mais nada, era só a cama velha, uma pia e uma privada, lógico tinha uma janela onde o sol entrava pelas frestas todas as manhãs, era duro viver só ...e morar só também. A sopa rala da noite estava pronta, quente e bem simples...o que sobrava do prato era devolvido à panela...essa era a lei, senão no outro dia tinha-se que dividir o cachorro...fazendo então uma sopa de cachorro-quente...”

aqui estamos de volta....sempre...

O curioso??? Quem é esse? Para onde ele anda? Com quem ele fala e conversa? Sobre o que ele conversa? Muitos fatos rondam seu caminho, mas que ou qual caminho? Será que esse caminho existe? Não sei....o que você acha?  Pode responder se quiser, ou melhor só me responde uma coisa...ou melhor podem ser duas coisas? Não...é melhor uma coisa de cada vez, pode ser? ....não quer responder a segunda coisa ao invés da primeira??? primeiro....você conhece bem sua curiosidade? Sobre o que ela tanto formiga no seu ouvido? segunda....existe tanta necessidade no ser humano de fazer tantas e tantas e mais tantas perguntas? Você já se perguntou quantas perguntas faz a você mesmo? Ou você é daqueles que só perguntam as coisas para os outros? Quem sou eu...e para onde vou? essas não valem...são muito óbvias, ou não??? pergunte a si mesmo e acharás a resposta ....ou melhor não?

Ritmo de festa que balança o coração,
festa divertida, colorida de emoção,
dia de alegria, então sorria e vem pra cá,
a festa continua, a casa é sua, pode entrar!

Hey, hey, hey hey hey!

Ritmo, é ritmo de festa!
Ritmo, é ritmo de festa!
Ritmo, é ritmo de festa!
Ritmo, é ritmo de festa!
 

No mundo vagamos e não encontramos, o que devemos procurar...não procuramos, buscamos sim o feliz luar ou uma praia para mergulhar....mergulhar nossas fraquezas, nossos medos e coisas desagradáveis, mas nunca percebemos que mesmo mergulhando somos iguais quando voltamos para a superfície, apenas nos molhamos....e só! O que é nosso é nosso e pronto! Nossos defeitos....estes temos que conviver, se der para melhorar ou mudar melhor ainda. O mais importante é não atrapalhar a vida dos outros, não ser pedra, nem areia...não ser carroço na empada do outro....muitos querem descontar nos outros suas dores, mas a maior dor está em si mesmo...conviver com você (se você for alguém dolorido pela vida) é o pior....


 

Um Dia De Domingo

Eu preciso te falar
Te encontrar de qualquer jeito
Pra sentar e conversar
Depois andar de encontro ao vento
Eu preciso respirar
O mesmo ar que te rodeia
E na pele quero ter o mesmo sol que te bronzeia
Eu preciso te tocar e outra vez te ver sorrindo
E voltar num sonho lindo
Já não dá mais pra viver
Um sentimento sem sentido
Eu preciso descobrir a emoção de estar contigo
Ver o sol amanhecer e ver a vida acontecer
Como um dia de domingo
Faz de conta que ainda é cedo
Tudo vai ficar por conta da emoção
Faz de conta que ainda é cedo
E deixar falar a voz do coração

" Lembro-me bem, muito bem...daquela senhora, sentada à cadeira de balanço...fazendo seu tricô ao longo da tarde, tinha sempre um saquinho com inúmeros rolinhos de lã...com várias cores, seus cabelos brancos nos transmitiam paz...seus óculos pareciam brilhar mais que o sol daquele outono. Sua sabedoria assustava-nos, éramos muito jovens, jovens de tudo, e ela ali, na varanda só olhando...quando nossa bola caía na sua varanda, sempre a pegava...pedindo-nos que tomassemos cuidado com suas roseiras. Tínhamos muito respeito...não sei, aquela senhora tinha algo nos lábios, no olhar, que nos fazia descansar, descansar nosso coração...sua pele branca, pode ser!

Mas até que um dia, vimos o caminhão, móveis velhos e rústicos sendo colocados ali dentro, e aquela velhinha indo embora, foi embora da nossa rua, do nosso bairro, do nosso olhar...mas para dentro do seu portão nós ainda viamos, é....ainda estavam ali aquelas roseiras, lindas roseiras...que depois de um certo tempo murcharam, e foram arrancadas junto com a casa, junto com aquela varanda...para hoje ser uma avenida..."

salve, povo!...na vida, no cotidiano são tantas coisas que ocorrem, tantos fatos acontecendo, muitos eu creio não sejam bons ou interessantes para colocar aqui, mas eu creio na resposta, que vem lá do alto, é onde está Deus! esse Deus maravilhoso que nunca me deixa, nem cair nem tropeçar...que Ele abençoe a todos hoje e um otimo feriado!!! 

Como apreciador do cinema nacional, não pude deixar de assistir na globo, segunda feira o filme "COM LICENÇA, EU VOU A LUTA"...filme maravilhoso, apesar de ter acabado às 03:45 da manhã, foi um grande prazer rever esse filme, cultura nacional. O filme narra a história veridica de Eliane, que enfrenta a furia de sua família ao se relacionar com um homem mais velho ( e feio)...e acaba fugindo com ele, enfrentando seus medos e realizando seus sonhos. Adorei rever a fernanda torres, bem novinha e gordinha e Marieta Severo, muito legal no papel da mãe de Eliane...esse filme nos faz refletir, pensar, sei lá....quem curte cine nacional pode conferir...não sei se existe nas locadoras, mas com certeza será muito bom.....

 

"O que mais me preocupa não é o grito dos violentos, dos corruptos, dos desonestos, dos sem caráter, dos sem ética. O que mais me preocupa é o silêncio dos bons!"

(Martin Luther King)
[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]